Palavra do Presidente
Paulo Ritz

Paulo Ritz
WhatsAppEmail

Um ano difícil, mas com avanços para nossa Categoria

Mais um ano chegou ao fim e, como de praxe, é momento de fazermos uma reflexão de tudo o que nossa Categoria passou ao longo dos últimos meses.

2017 ficará marcado como o ano do retrocesso para a classe trabalhadora. A derrocada começou com a aprovação da Lei da Terceirização que regulamentou a terceirização sem limites e sem restrições, precarizando totalmente as relações de trabalho.

Em seguida o governo anunciou a Reforma Trabalhista e, mesmo depois de muita negociação e muita luta por parte das centrais sindicais, infelizmente a Lei foi aprovada e sancionada pelo presidente Michel Temer.

Com a justificativa de modernização das leis trabalhistas, nosso Congresso rasgou a CLT, flexibilizando direitos históricos conquistados a duras penas ao longo de tantos anos.

A fórmula foi simples e cruel: flexibilizar direitos básicos, dar mais poder para o patrão, deixar o trabalhador mais vulnerável e enfraquecer o movimento sindical.

Como se não bastassem tantos absurdos, o Governo ainda tenta passar a Reforma da Previdência que vai dificultar a aposentadoria do trabalhador e, mais uma vez, favorecer os empresários. 

A boa notícia é que o Sintercamp não se deixou abater e, mesmo diante de tantas circunstâncias negativas, nossa Categoria continuou avançando.

As negociações com o patronal foram ainda mais difíceis, principalmente com a inflação em baixa, mas como todos os anos conquistamos um reajuste com ganhos reais para os Trabalhadores em Refeições e mais uma vez conseguimos manter todos os benefícios sociais da Convenção Coletiva anterior.

Durante este ano também fizemos diversas intervenções para evitar demissões em massa e garantir todos os direitos dos nossos trabalhadores, firmamos a primeira Convenção Coletiva dos Trabalhadores em Refeições Escolares, reinauguramos nossa subsede de Piracicaba, dentre tantas outras conquistas. Sim, os direitos da classe trabalhadora estão cada vez mais ameaçados, mas o Sintercamp está atento e não permitirá que esse cenário atinja a nossa Categoria. Por isso mais do que nunca precisamos permanecer unidos.

Tivemos algumas derrotas este ano, mas teremos muitas outras batalhas em 2018. Sindicalize-se e participe dessa luta! Juntos com certeza seremos mais fortes!

Comentários

+ enviar comentário
Imagem pré-carregadaImagem pré-carregadaImagem pré-carregadaImagem pré-carregadaImagem pré-carregadaImagem pré-carregadaImagem pré-carregadaImagem pré-carregadaImagem pré-carregadaImagem pré-carregadaImagem pré-carregadaImagem pré-carregadaImagem pré-carregadaImagem pré-carregadaImagem pré-carregadaImagem pré-carregadaImagem pré-carregadaImagem pré-carregada